Sergio Henrique Homem

Queridos, encolheram o Vasco!

Mesmo quem não é vascaíno tem acompanhado a situação que o “gigante da colina” vem passando nos últimos 18 anos: crise em cima de crise, brigas políticas, ações judiciais e até a presente data foram apenas: 3 títulos estaduais, 1 Copa do Brasil, 1 titulo da série B e  três doloridos e vergonhosos rebaixamentos.

O pior disso tudo é que não é possível ver uma solução de verdade nem a curto e muito menos em longo prazo. O que mais precisa acontecer para que os torcedores/sócios tomem uma atitude? Quantas vezes mais será preciso passar pela vergonha do rebaixamento para que finalmente se aprenda a lição? Qual será o futuro de uma das torcidas mais exigentes e apaixonadas do Brasil? Até quando o torcedor vai aceitar que dirigentes façam do clube uma extensão de seus lares?

Como presidente, é sempre bom lembrar que Eurico Miranda colocou o time para jogar a decisão do campeonato brasileiro de 2000 com o logo do SBT. Começa então o pior pesadelo da historia gloriosa do nosso clube.

Chega à época das eleições e Roberto Dinamite, maior artilheiro do clube e antigo aliado de Eurico resolve concorrer contra ele após ser expulso das cadeiras sociais do estádio de São Januario. Foram duas tentativas para se eleger: Na primeira a derrota foi apertada e na segunda eleição, mesmo derrotado ficou comprovada a fraude e depois de um ano de brigas judiciais ela foi remarcada e o ex-atacante e maior ídolo que representava: mudança, democracia, time forte e competitivo e patrocinadores foram eleito. Roberto e seus aliados alem de demonstrarem total falta de planejamento se viram as voltas com a “herança maldita” sendo esta a “muleta” usada como desculpa para o fracasso do clube entre 2008 e 2014 , período o qual o clube passou pelos dois rebaixamentos.

Aproveitando que a gestão do ex-jogador foi um fiasco quase que completo (salvo 2011 quando venceu a Copa BR), Eurico retomou o poder sem grande esforço. Após um bom inicio de mandato, estragou tudo ao envolver um dos seus filhos no departamento de futebol, isso sem falar na contratação e posterior manutenção de Celso Roth no cargo de treinador. Situações que influenciaram diretamente no fiasco. E após um ano de muitas promessas e pouquíssimo futebol foi rebaixado mais uma vez em 2015.

E pelo “andar da carruagem” parece que as lições ainda não foram aprendidas. Alexandre Campello e seus pares políticos não respeitaram a vontade do sócio do clube e no apagar das luzes abandonou a chapa e foi apoiado por Eurico Miranda na ultima eleição. Acabou vencendo o chamado segundo turno na sede da Lagoa. O presidente já entrou dando um “tiro no pé”, pois com as eleições sendo vencidas como foram, qual a empresa gostaria de ter sua marca atrelada a um clube que os seus dirigentes não respeitam o sócio? Qual será aceitação do mercado?  Como ser competitivo em um campeonato longo contratando de jogadores de qualidade duvidosa e outros que ficam mais tempo no DM do que em campo?

Se as coisas irão melhorar ainda é cedo para saber… Porém, a parte que me cabe sigo fazendo: torcer !

Presidente e diretores façam a de vocês e Não deixem o Vasco morrer!

One Response

  1. Thiago Geada 16/04/2018

Deixe Seu Comentário