Destaque Notas Oficiais

Nota Oficial – Demonstrações Financeiras de 2017

Faltando dois minutos para o fim do prazo para a publicação do balanço, o Club de Regatas Vasco da Gama disponibilizou as suas demonstrações financeiras de 2017. Outrora recheadas de inconsistências, o Clube, nesta publicação, quebra um paradigma interno divulgando o Balanço mais transparente desde que a Cruzada Vascaína passou atuar diretamente no Conselho Deliberativo. A transparência aplicada sempre foi para a Cruzada um valor e condição fundamentais para o resgate da credibilidade do Clube perante o mercado, sócios, mídia e torcedores em geral.

A publicação apresentada pela Diretoria Administrativa relaciona eventos gravíssimos sobre a gestão anterior.

A Diretoria relata que assumiu o Vasco em janeiro de 2018 com atrasos de dois meses de salários, 13º e férias resultando num valor de aproximadamente R$ 15 milhões. Ressaltamos que com três meses de atrasos, os jogadores poderiam, na justiça, quebrar seus contratos unilateralmente e o Clube ficaria numa terrível situação, com elenco deficitário às vésperas da estreia da Copa Libertadores da América 2018.

Outra situação crítica apresentada é que o Vasco possuía uma dívida de R$ 700 mil com a empresa responsável pela venda de passagens aéreas e reservas de hotéis, R$ 200 mil acima do limite contratual dessa dívida, tal fato poderia gerar eliminação por W.O. da Libertadores o que não aconteceu, segundo a Diretoria Administrativa, por causa de um empréstimo tomado junto ao sócio do Vasco e empresário Carlos Leite.

Nosso grupo emitiu uma nota em 16 de novembro de 2015 manifestando a grande preocupação com o contrato de Transmissão de TV, preocupação esta que ficou evidenciada no Balanço. A prática mais perversa da Gestão Anterior relatada no balanço, ao nosso entender, foi a inaceitável antecipação de praticamente DOIS anos de receita futura, comprometendo de forma temerária as operações do Clube.

Outro fato estarrecedor acontecido na Gestão Anterior, adicional a antecipação de receita da TV, é a enorme dívida operacional VENCIDA na monta de R$ 86 milhões, gerando grande risco de deixar o Vasco de fora do PROFUT.

A Gestão do ex-presidente Eurico Miranda assumiu o Clube com R$ 688,6 milhões de passivo (circulante e não circulante) e deixa-o com R$ R$ 645,1 milhões. Lembramos que a situação poderia ser pior se não fosse perdoado em 2015 o valor R$ 113,5 milhões por resultado das renegociações de tributos via PROFUT, sem tal perdão a dívida do Vasco seria de R$ 758,6 milhões, mais de 10% superior à dívida publicada pela administração do ex-presidente Roberto Dinamite.

Entendemos que não pode passar despercebida a nota explicativa 25 referente às Outras receitas (despesas) operacionais dando conta de que existem R$ 5,6 milhões sem evidência de documentação.

Face às evidências apresentadas, parece-nos existirem indícios suficientes apontando para uma Gestão Financeira e Patrimonial TEMERÁRIA. Sendo assim, solicitamos ao Presidente Alexandre Campello:

1 – Convocação de Reunião Extraordinária do Conselho Deliberativo para esclarecimentos da Diretoria Administrativa anterior a respeito das condições financeiras, principalmente a taxa de desconto, dos adiantamentos tomados junto a Rede Globo de Televisão.

2 – Instauração dos ritos estatutários para aplicações de punições, caso seja provado que as práticas perigosas e fora das regras, tomadas pela Diretoria anterior, provocaram prejuízos substanciais ao Vasco da Gama. A exclusão dos responsáveis do quadro social do Clube deve ser considerada fortemente entre as sanções.

3 – Instituir administrativamente descontos na joia do plano para Sócio Proprietário e Geral em concordância com a “Carta da Administração”: “…completa abertura do Clube aos sócios de qualquer natureza”. Além disso, defendemos a implementação de um programa de anistia aos Sócios Gerais com tempo de associação mínimo de 3 anos visando um aumento do quadro social e consequente incremento significativo das receitas provenientes das mensalidades.

4 – Defesa intransigente das Eleições Diretas numa profunda reforma estatutária, ação que justifica a sugerida “…democratização das eleições..” mencionada na “Carta da Administração”. Somente os Vascaínos e Vascaínas podem salvar o Club de Regatas Vasco da Gama da caótica situação financeira apresentada. Os sócios podem compensar financeiramente a falta de recursos futuros devido aos adiantamentos, portanto nada mais justo do que os sócios tenham direito de escolher diretamente o seu próximo mandatário.

A qualidade do Balanço apresentado foi um marco importante, mas foi só um marco de muitos a serem realizados. Muitas desses marcos são consequências das informações disponibilizadas neste Balanço. Esperamos o encaminhamento de soluções muitas vezes duras, assim como avaliamos imprescindível o rompimento definitivo com agentes nocivos à política e à administração do nosso Clube.

A Cruzada Vascaína continuará fiscalizando e atuando fortemente no Conselho Deliberativo. Cobraremos do Presidente Alexandre Campello e da sua Diretoria a evolução das soluções necessárias para os problemas do Vasco.

Cruzada Vascaína

O quanto Você Gostou do Post?

2 Comments

  1. Paulo Sergio de Araujo 01/05/2018
  2. Cláudio Ramos 01/05/2018

Deixe Seu Comentário