Rodrigo Rebechi

Como é duro acordar de um sonho…

Quando o Vasco viajou para Buenos Aires, a equipe do Racing trocou elogios via Twitter com a gigante equipe vascaína, de história bela, de passado glorioso. Diziam o quão era importante receber um gigante das Américas, que o jogo seria especial, etc. Por um momento, fechei os olhos e vi o Vasco ganhar deles lá no El Cilindro por 3 a 2 há 20 anos

Vi o respeito e temor que os times sulamericanos tinham. Vi a grandeza do Vasco. Mas, abri os olhos, acordei do sonho. O Vasco tomou um acachapante 4 a 0. Isso porque San Martin del Caldeirón pegou dois pênaltis, levamos bola na trave, tomamos olé.

Esse pesadelo acordado tinha Paulão e Erazo na zaga. Tinha um Evander lento (desculpe a redundância), um Wellington perdido, um Bruno Silva (oi?) fazendo figuração. Um Henrique que era um convite à um tango pela esquerda. E vimos a pena dos argentinos em puxar o freio e o juiz, piedoso, terminando o jogo antes dos 45.
Infelizmente o Vasco no qual vislumbrei ao fechar os olhos, o Vasco que era chamado de Gigante das Américas. O Vasco que não temia ninguém independente de local….esse Vasco agoniza. E como é triste. Um Vasco sucateado. Um cruzmaltino nas mãos de dirigentes que não amam o clube. Estão cagando (desculpe o termo) pra história do Vasco. Quase metade do ano e não temos centroavante, zagueiro, lateral e um goleiro reserva (sim, vai piorar, pois Martin já já desfalca o Vasco para a Copa).
Sim, esse outrora chamado de Gigante das Américas faz figuração nas competições e hoje, infelizmente, nossa meta são 46 pontos.
O quanto Você Gostou do Post?

2 Comments

  1. Thiago Geada 20/04/2018
  2. Gerson Vianna 20/04/2018

Deixe Seu Comentário